segunda-feira, 18 de janeiro de 2016



Depois de um tenebroso caminho
Em busca da minha felicidade
Não vou deixar que ninguém
Atrase o meu destino final
Despida de ilusões incertas
Limpa de memórias ambíguas
Mereço mais que apenas palavras e momentos
Sempre soube que carregavas o meu sofrimento
Permiti que semeasses em mim a dor
Hei-de encontrar o meu perdão
Por ter permitido a tua passagem na minha vida
Como posso ter sido tão cega
A mentira não faz parte de mim
Como posso ter sido tão ingénua
A falsidade para mim não existe
Foste um amanhecer violento
Nesta tempestade que alimentei
Pingos de chuva carregados de mentira
De tanto querer me perdi
De tanto acreditar andei à chuva
E por fim... te deixo
Agora finalmente no meu canto em silêncio
Inebriada pelos meus sentidos apurados
Cheguei ao fim desta intensa viagem
Onde sentimentos como o amor e o ódio deixam marcas
Tão profundas quanto dolorosas
Mas eu não acredito no amor...

Sem comentários:

Enviar um comentário