quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Nunca soube ser paciente
Quando quero, quero logo! 
Quando me apetece, tem de ser já
Quando começo ligeiramente a embirrar, sei que já fugi de vez
Sempre fui assim
De poucas esperas e explicações

Sem comentários:

Enviar um comentário